31 de jul de 2017

Você sabe o que são figuras obrigatórias?

Eu já devo ter mencionado aqui no blog, que Figure Skating, nada mais é do que patinar fazendo figuras no gelo, traduzindo e já explicando ao pé da letra, seria mais ou menos isso.




Vocês já devem ter visto algumas imagens antigas de patinação artística no gelo, onde os patinadores ficam o tempo todo olhando pro chão e formando ali, algumas figuras.
Chamamos este tipo de modalidade de Escola, Compulsory Figures ou Figuras Obrigatórias. Em 1772,  foi publicado na Inglaterra, pela primeira vez, um manual de instruções sobre figuras circulares e em formato de oito. 
Treinar eixo requer concentração, domínio do corpo, coordenação, paciência. É a base de um bom patinador.
Com o passar do tempo, os patinadores foram incrementando as figuras que desenhavam no gelo. Por muitos anos, esta modalidade competitiva, era a principal categoria praticada entre os atletas. 




Um dos mais conhecidos patinadores nesta modalidade, foi Gillis Grafstrom (vídeo).  Três vezes campeão Olímpico, o sueco era um mestre em desenhar no gelo. Ele mesmo, posteriormente desenvolveu spins e espirais que deram origem ao que chamamos hoje de Camel Spin. Depois de desligar-se das competições, ele se tornou treinador de nada mais nada menos , que Sonja Henie.





Esta modalidade foi foi extinta das competições no gelo em 1989. Há que ame, há quem odeie.  
Desde 2010, esta modalidade está voltando a testes de graduação de atletas em alguns países.
É o tipo de treinamento imprescindível. Patinação, não é só pula pula. Quem não treina escola não tem eixo!

Mas e na patinação artística sobre rodas?
Até hoje existem competições de figuras obrigatórias na patinação artística sobre rodas. Escola é uma modalidade da patinação artística, imposta pela federação internacional de patinação .








Oito
Bócula


As linhas possuem 2cm de espessura, e é ali que as rodas devem passar, ou seja, uma figura bem executada é aquela cuja linha fica exatamente entre as rodas dos patins.

Como treinar com patins inline ou quad?
Para poder treinar esta modalidade, é necessário um piso liso e uniforme e diferentemente do gelo, aqui neste caso, as figuras já estão previamente pintadas no chão.
Não é uma modalidade empolgante e bonita de se assistir e não demanda graça ou criatividade. Neste caso, também não vemos um desfile de moda, com vestidos e malhas de grifes famosas. Geralmente os atletas executam as figuras usando o uniforme de seu clube. É pura técnica e precisão, quase zero glamour.
É necessário um técnico de patinação artística para executar figuras mais elaboradas como rocker e bucle, porém as saídas e virada três, iniciantes conseguem treinar sozinhos.









Existem patins específicos para este modalidade. Eles não possuem freio frontal e utiliza-se rodas de 63mm, ou seja, maiores que rodas de livre e rolamentos e amortecedores específicos.
É possível também, praticar esta modalidade usando patins de livre, removendo os freios.
Abaixo tentei exemplificar algumas das execuções e listei os termos mais usados na modalidade.

Lembrando que este post é somente informativo. A modalidade é muito mais profunda do que este artigo superficial.

As figuras
Existem no total 41 figuras, onde combinam-se diferentes desenhos e formas de executá-los. Executar uma figura, basicamente, trata-se de um impulso único, com as rodas (sem freio) para contornar o círculo usando apenas um apoio. Aparentemente muito fácil, porém o controle dos eixos demanda muita concentração e domínio dos patins. Alguns patinadores usam os eixos bem soltos, para facilitar a mudança interno/externo.
Toda vez que uma figura não tem uma letra no seu nome ou é um número seguido da letra A, ela deve ter o impulso inicial com o pé direito. Mas se essa tem a letra B no nome, deve-se iniciar a execução começar com o pé esquerdo.
São 4 tipos de saída: de frente eixo interno ou eixo externo. De costas eixo interno, eixo externo. Aqui dois exemplos:






Troca de pés
É feita a troca de pés de apoio, quando se chega ao final do 1o círculo. Então se troca o pé de apoio e dá-se um novo impulso.
Virada três
Virada três, é uma rotação, que forma um número três no chão. Apoia-se nas rodas da frente e faz-se uma pequena rotação, mudando assim de direção, de frente pra trás e apoa-se nas rodas de trás fazendo a mesma rotação e voltando-se para frente. A rotação é para o lado de dentro do círculo.









fig obligatorias
Virada três





Bracket
A rotação é igual a virada três, porém pra fora do círculo e em direção contrária ao eixo.
Rocker
Rotação de um pé, mas trocando de círculo. Existe um posicionamento correto e local exato onde deve ser feita a execução da virada.





Bucle ou bócula
São executados nos círculos mais fechados da figura acima. Tanto com saídas de frente como de costas.


Troca de eixo
Significa a troca de eixo externo pra interno e vice versa. geralmente executados com impulso único ao trocar de círculo.
Final da Execução
Este tipo de modalidade não atrai muito público. Não há música nem aplausos, os juízes ficam muito próximos ao patinador, atentos aos movimentos
Em campeonatos, as figuras são executadas 3 vezes, a não ser que o juiz decida que a primeira volta já foi bem executada e não serão necessárias mais repetições.
Patinadores que pretendem competir nesta modalidade, devem treinar simulações em condições similares ao dia do campeonato. Em silêncio, concentrados e sob pressão.
É muito importante ter um técnico habilitado. A modalidade parece ser simples, fácil, mas demanda muito treino, postura, técnica, percepção corporal e controle total dos eixos.





ps. Uma curiosidade: muitas das atletas de figuras obrigatórias, usam meias estribo, sem cobre botas, pra poder visualizar a costura da ponta dos patins, e assim ter noção de onde está a linha. Além de claro, dar um charme aos patins




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Patine conosco, deixe seu comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...